Ir para conteúdo

Descoberta  permite situar cronologicamente as ruínas romanas do Patarinho - Santa Comba Dão

Descoberta permite situar cronologicamente as ruínas romanas do Patarinho - Santa Comba Dão

16 jul '21
Município

No Patarinho foi recentemente descoberto um fragmento de terra  sigillata -  uma cerâmica de luxo da época romana, que surge como um  indicador cronológico de referência. Com este achado, a equipa de arqueólogos consegue, de forma segura, situar as ruínas entre os séculos I e III d.C., o  que corresponde - tal  como explicou o diretor da escavação Pedro Matos -  "à época do Império Romano".  O arqueólogo -  que desde 2019, tem vindo a escavar no Patarinho com várias equipas de estudantes da Universidade de Coimbra - explica que "enquanto Conimbriga estava no auge, havia toda  uma comunidade a viver nesta zona".

E há mais revelações nesta segunda fase da campanha de 2021 . Depois de, em 2019 e 2020, ter sido descoberto  um edifício com duas áreas de produção - vinho ou azeite- , na primavera de 2021 já havia sido revelado um compartimento, que agora se confirma corresponder a um novo edifício. Também com  duas zonas de produção associadas,  esta é uma estrutura diferente, quer pelo fragmento de terra sigillata aí encontrado, quer pelo género de "construção com muros mais sólidos, de tipo senhorial".


Atualmente com uma dezena de arqueólogos em campo, as  campanhas de escavação das ruínas romanas do Patarinho  têm vindo a ser promovidas, desde o primeiro momento,  pelo Município de Santa Comba Dão, com o apoio da União de Freguesias de Óvoa e Vimieiro e a colaboração estreita do proprietário do terreno onde decorrem os trabalhos, Mário Cordeiro.

O diretor das escavações Pedro Matos reforça,  a cada nova  campanha, a convicção da relevância histórica deste sítio, no âmbito do estudo do povoamento de Santa Comba Dão, que agora se consegue datar, de forma segura, entre os séculos I e III d.C.