Ir para conteúdo

Notícias

Sem resultados a apresentar
Cultura, Património e Turismo dão mote à participação do Município na Bolsa de Turismo de Lisboa
22 fev '24
Município
Cultura, Património e Turismo dão mote à participação do Município na Bolsa de Turismo de Lisboa
A Cultura, o Património e o Turismo são as apostas do Município de Santa Comba Dão na edição 2024 da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL),  que decorre entre os dias  28 de fevereiro e 3 de março, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações. Além dos stands da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões,  Rota da Estrada Nacional 2 e Caminhos de Santiago (onde o Município já havia marcado presença em edições anteriores), este ano, e pela primeira vez,  há a registar a representação do concelho no stand das Aldeias de Portugal, através da aldeia concelhia do Couto do Mosteiro.

O ponto alto da participação  municipal  acontece na quinta-feira, 29 de fevereiro, no stand da CIM Viseu Dão Lafões, em dia dedicado a profissionais da área turística, o que possibilita a divulgação do território junto a diferentes operadores.

Logo pelas 11H45 será feita a  apresentação ''Santa Comba Dão -  Cultura, Património e Turismo', com destaque para a oferta do território nestes três domínios.Vão ser dados a conhecer novos produtos, como a Núcleo Museológico de Artes e Ofícios, Lagar de Azeite, Central Elétrica e passadiços,   que vêm enriquecer ainda mais o leque da oferta de um território que, entre outros pontos de interesse, acolhe a Nacional 2, a Aguieira e a Ecopista.

A Agenda da Casa da Cultura 2024 - 2027 vai ter, de igual modo, um lugar de destaque na apresentação, tanto mais que se vai pautar pela oferta das mais diversificadas experiências que, decerto,  marcarão a diferença, enriquecendo a cultura de toda uma região.  

No mesmo espaço e a convite do Município, o operador turístico 'Casas com Estória' vai apresentar, a partir das 12H15, este projeto diferenciador, que valoriza e preserva as memórias de diferentes edifícios da sede do concelho transformados  unidades de alojamento local. Também no stand da CIM, fica a nota para a mostra gastronómica de produtos endógenos a acontecer às 12H45, que vai trazer para cima da mesa a broinha de Santa Columba, os  queijos e  os enchidos, entre um vasto leque de iguarias. A acompanhar, foi selecionado vinho de um produtor local, o branco da 'Quinta da Ramalhosa'. 

Visitado anualmente por milhares de pessoas, a BTL é um certame de referência do turismo nacional, constituindo uma rampa privilegiada para a divulgação e promoção integral do território e das suas potencialidades. De referir ainda os três primeiros dias são dedicados a profissionais, e os dois  seguintes ao público em geral.

Ler mais
A 25 de fevereiro: Circo Filarmónico reúne Orquestra de Malabares e Orquestra de Sopros do CMAD
16 fev '24
Cultura
A 25 de fevereiro: Circo Filarmónico reúne Orquestra de Malabares e Orquestra de Sopros do CMAD

Circo, Teatro e  Música vão fundir-se na apresentação da Orquestra de Malabares ou Circo Filarmónico -  a nova proposta cultural, com a assinatura da companhia galega PISTACATRO, a acontecer  na Casa da Cultura de Santa Comba Dão,   já no dia 25 de fevereiro, pelas 17H00, no palco do Grande Auditório. Considerado como um dos mais originais e transdisciplinares da   Península Ibérica, este projeto de fusão traz à cena seis músicos malabaristas da companhia galega, que vão partilhar o palco com a  Orquestra de Sopros do Conservatório de Música e Artes do Dão (CMAD).

Este encontro vai potenciar uma simbiose artística que ninguém vai querer perder, tanto mais que vai ser apresentada uma dramaturgia completamente inovadora. Um novo espetáculo em estreia absoluta, a construir durante a  residência artística que a companhia galega vai efetuar Casa da Cultura, com os jovens músicos do CMAD nos dias que precedem esta apresentação pública.

Resultante de uma coprodução da PISCATRO, Novo Ciclo ACERT e Conservatório de Música e Artes do Dão (CMAD),este espetáculo encontra-se  integrado na programação da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP) 2024-2027 -  promovida pelo Município, em articulação com o CMAD (agenda em anexo).


Mais informações:

m/ 6 anos

Preço: 5€ | Bilhetes à venda na BOL

Acompanhante de pessoa com deficiência: Gratuito

Ler mais
Agenda da Casa da Cultura janeiro-abril 2024
15 fev '24
Cultura
Agenda da Casa da Cultura janeiro-abril 2024

Apresentamos o primeiro número da Agenda da Casa da Cultura, que  marca o início de uma nova era para este  equipamento de referência no nosso concelho. Referente aos primeiros quatro meses do ano, esta é uma edição que dá a conhecer a oferta das mais  diversificadas experiências culturais, que têm na música a área nuclear, agregando de modo complementar, o teatro, a dança, o audiovisual, as artes circenses e diferentes cruzamentos disciplinares no domínio artístico.


Uma oferta cultural que vamos replicar de quatro em quatro meses, no decurso da aprovação da candidatura do Município, em parceria com o Cmad Conservatório de Música, ao financiamento da Direção-Geral das Artes - Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses para a programação do quadriénio 2024-2027.

Neste âmbito Santa Comba Dão vai usufruir de uma programação abrangente, com apresentações / espetáculos / atividades a desenvolver em seis domínios de atuação. Além de espetáculos de acolhimento de grupos artísticos e companhias que vêm apresentar-se no concelho, a Casa da Cultura vai promover eventos de circulação nacional (com o grupo residente Camerata do Dão), coproduções (com a RTCP, a ACERT e outras) e residências artísticas (a efetuar com associações locais). Numa fase posterior, e logo que estejam reunidas as condições técnicas, também o cinema regressará à Casa da Cultura.

Nota ainda para as estratégias locais de mediação, que vão levar a música e outras artes às escolas e instituições concelhias, numa aproximação à comunidade e partilha de diferentes expressões artísticas.


ACEDA À PUBLICAÇÃO

Ler mais
Corte de trânsito no IP 3 - informação da Infraestruturas de Portugal
9 fev '24
Município
Corte de trânsito no IP 3 - informação da Infraestruturas de Portugal
A Infraestruturas de Portugal (IP) informa que, "no âmbito da modernização da Linha da Beira Alta, Troço Santa Comba Dão - Mangualde e para a realização de trabalhos de sustituição do viaduto ferroviário ao pk 85+147 dessa linha, é necessário proceder ao desvio de tráfego entre o km 82 + 000 e o km 101+000 do IP3".
 
A entidade informa ainda que "para o efeito, o trânsito será desviado pelo IC12 e pela ER 230, entre as 16H00 do dia 14 de fevereiro e as 21H00 do dia 15 de fevereiro de 2024, encontrando-se o desvio devidamente assinalado em toda a sua extensão".
Ler mais
Inaugurada exposição itinerante “Branquinho da Fonseca - Uma Vida a Fazer Ler”
9 fev '24
Cultura
Inaugurada exposição itinerante “Branquinho da Fonseca - Uma Vida a Fazer Ler”
No dia 8 de fevereiro, foi inaugurada, na Biblioteca Municipal Alves Mateus (BMAM), a exposição itinerante “Branquinho da Fonseca - Uma Vida a Fazer Ler”, cedida pelo Município de Mortágua à nossa autarquia.
 
Com o envolvimento de professores e alunos da Universidade Sénior de Santa Comba Dão, a iniciativa traduziu-se numa animada tertúlia com a bibliotecária Teresa Branquinho a propósito desta mostra, que propõe uma "viagem pela vida e obra deste ilustre escritor e dramaturgo", natural de Laceiras, Mortágua. Um pioneiro das bibliotecas móveis, que criou e dirigiu, a partir de 1958, o Serviço de Bibliotecas Itinerantes e Fixas da Fundação Calouste Gulbenkian. Um projeto a que se dedicou, até ao final da vida, contribuindo para a construção da primeira estrutura de promoção de leitura pública, a nível nacional.

O pioneirismo e dedicação ao projeto das bibliotecas itinerantes  foi uma das muitas facetas de Branquinho da Fonseca que Rui Jorge Pereira, professor da US, fez notar na abertura desta iniciativa.  Antigo professor de português, dedicado agora à docência na US, Rui Jorge Pereira propiciou aos presentes uma 'aula' sobre o autor, falando de todo  um percurso marcado pelos ideais republicanos, transpostos quer  na vida, quer numa obra, que viajou entre poema lírico  e o conto, passando pelo romance, a novela, o texto dramático e o poema em prosa. Nesta lição de português, duas alunas - Dina Mateus e Deusa Glória -  partilharam a leitura de poemas, tendo ainda sido colocadas várias questões à bibliotecária Teresa Branquinho.

A técnica deu a conhecer esta exposição "promovida pela Câmara Municipal de Mortágua, com coordenação de Maria Mota Almeida (Licenciada em História e Investigadora da Faculdade de Ciências sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa) e Luís Branquinho da Fonseca Soares de Oliveira (um dos netos do escritor),  Diretor de Fotografia de Cinema, Televisão e Publicidade, Guionista e pesquisador de documentários".  Uma exposição  que "só podia ser itinerante", para percorrer o "país de norte a sul, do litoral ao interior, galgando montes e vales, à semelhança das bibliotecas itinerantes que levaram os livros a milhares de portugueses por esse país fora, dando expressão ao ex-libris de Branquinho da Fonseca: Ensinai toda a gente”.

 Uma mostra  através da qual são dadas a conhecer "a vida e as várias facetas deste cidadão mortaguense  – escritor, tradutor, Conservador, homem das Artes e Bibliotecário, nascido na aldeia das Laceiras a 4 de maio de 1905, e filho de outro vulto da nossa literatura, Tomás da Fonseca". Um homem "que tanto fez por Portugal e que teve a coragem de pugnar, em tempos de ditadura, por uma educação que chegasse a todos, através do poder da leitura na formação do indivíduo enquanto cidadão".

À BMAM, Teresa Branquinho ofereceu - além da divulgação da obra deste ícone mortaguense -  um exemplar da publicação "Beiras - Imagens do ambiente natural e humano na literatura de ficção", que contém um artigo sobre as "Paisagens e gentes da Serra do Caramulo  nas escritas de Tomás e Branquinho da Fonseca".

A Visitar

Patente desde o dia  1 de fevereiro,  a  exposição itinerante “Branquinho da Fonseca - Uma Vida a Fazer Ler pode ser visitada até  28 de março, na Biblioteca Municipal Alves Mateus, de segunda a sexta-feira, das 09H30 às 17H00.

Ler mais
As memórias e lições dos incêndios transpostas para uma obra de arte comunitária
6 fev '24
Município
As memórias e lições dos incêndios transpostas para uma obra de arte comunitária

O quartel dos Bombeiros Voluntários recebeu, no final da tarde de 3 de fevereiro,  a apresentação de uma obra de arte comunitária, resultante da  residência artística, associada à experiência dos incêndios de 2017, que decorreu ao longo de quatro dias, em território concelhio. Dinamizada  por um coletivo de artistas e investigadores dos projetos internacionais FIRE-RES e Lament, a iniciativa arrancou a 31 de janeiro, com o objetivo comum de estudar a recuperação das comunidades após catástrofes de grandes dimensões.

Integrado por elementos de várias nacionalidades, o coletivo artístico e científico percorreu a geografia do incêndio, numa ação articulada com o Município e com a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, através do técnico André Mota.

Junto à comunidade, as artistas e investigadoras dinamizaram  várias ações de partilha sobre a experiência do fogo, transpostas para uma tela, à qual foi dado o título provisório de painel da resiliência. Este mapa /painel traduz uma obra de arte coletiva,  que  traz à memória o impacto físico e psicológico da tragédia, transportando, também, mensagens de esperança e  lições para o futuro.

Construído por todos os participantes no projeto, o painel vai muito além do  mapa do fogo. Nele estão representados os aglomerados mais fortemente afetados pelos incêndios e a longa noite de 15 de outubro. Está presente a floresta - desde as espécies autóctones às invasivas. É também deixado um frasco de sonho e esperança e uma 'caixa postal' com mensagens para o futuro. Há uma  linha vermelha que marca o combate ao incêndio pelos Bombeiros Voluntários, que se cruza com a  azul dos cursos de água e uma  linha branca reveladora da "cicatriz" do incêndio. Por todo o painel, há mensagens escritas e/ou desenhadas, na primeira pessoa, sobre a vivência dos factos e a aprendizagem que daí adveio.

Na apresentação deste trabalho coletivo reuniram-se algumas das muitas pessoas que ao longo destes dias deixaram a sua impressão neste painel, num momento de partilha bastante emotiva. As intervenções focadas na importância deste projeto e no agradecimento à comunidade estiveram a cargo das representantes do projeto Lament, a artista Margherita Pevere e a investigadora Celine Charveriat, bem como das investigadoras envolvidas no projeto europeu FIRE-RES:  Conceição Colaço, do  Instituto Superior de Agronomia (ISA) da Universidade de Lisboa- Centro de Ecologia Aplicada Baeta Neves, e Brigite Botequim e Madalena Ferreira, do CoLAB ForestWISE®.

Também do Município, o presidente da  Câmara, Leonel Gouveia, e a psicóloga Tânia Ricardo, que acompanhou diretamente este projeto,  sublinharam a relevância desta experiência - artística, científica e sociológica  - resultante   numa obra,  que" reflete bem o 15 de outubro e os dias seguintes". Uma obra de arte coletiva que dá nota do impacto físico e psicológico de muitos daqueles que viveram os incêndios de 2017, surgindo também - e tal como referiu Tânia Ricardo - como uma prova da resiliência das populações. 

Em meados de junho, este painel vai ser dado a conhecer numa exposição em Bruxelas, levando para o patamar europeu a memória dos incêndios e as mensagens para o futuro da comunidade de Santa Comba Dão.

Ler mais
Festa de São Brás na Aldeia de Portugal - Couto do Mosteiro
5 fev '24
Município
Festa de São Brás na Aldeia de Portugal - Couto do Mosteiro
A tradicional Festa de São Brás aconteceu no Couto do Mosteiro - Aldeia de Portugal com uma alargada agenda de iniciativas, que primou pela aliança entre a tradição religiosa, a música e gastronomia, ao longo de dois dias de festejos bastante participados.
 
A celebração da missa em honra de São Brás na capela do Senhor do Couto marcou, a 3 de fevereiro, o início do programa do primeiro dia que também contou com a atuação do conhecido grupo Entre Amigos no Solar dos Costas. No dia 4, a celebração eucarística ocorreu na igreja matriz do Couto do Mosteiro. Seguiu-se a tradicional procissão em honra de São Brás, que percorreu algumas das principais ruas do Couto do Mosteiro - outrora sede de um antigo concelho - e da localidade contígua do Pesseguido.
 
Acompanhada pela Filarmónica de Santa Comba Dão, a procissão culminou no Largo do Pelourinho, com a colocação do altar na capela do Senhor do Couto, que ficou de portas abertas durante a tarde.
 
Numa iniciativa da Associação Turismo de Aldeia (ATA), ADICES e Mordomia de São Brás seguiu-se, também no Solar dos Costas, a iniciativa Almoce e Jante Connosco, que reuniu uma centena de pessoas num alegre convívio à volta da mesa animado pelo grupo Ritmo Kaliente. A ementa foi composta por sopa da pedra, arroz de feijão, cozinhado em panelas de ferro, porco no espeto, assado no local, e arroz doce.
Já na zona da adega foi servido um café feito em panela de ferro, que deu o mote para o início da oficina do pão, dinamizado por Manuela Pereira. Desde a mistura da farinha, água e fermento até à colocação no forno, os participantes assistiram às várias etapas que regem a confeção de pão caseiro. Ao forno foi ainda juntado um tabuleiro de pães com chouriço que, com a fornada resultante da oficina, foram servidos numa merenda ao final da tarde, onde não faltou sopa da pedra e caldo verde.
 
Nesta iniciativa - dinamizada pela Mordomia de São Brás / comunidade do Couto do Mosteiro - marcaram presença representantes de entidades parceiras deste projeto das Aldeias de Portugal: Município de Santa Comba Dão, União de Freguesias de Santa Comba Dão e Couto do Mosteiro, ATA e ADICES.
Na agenda do programa Couto do Mosteiro, Aldeia de Portugal segue-se, no final de março, o Ementar das Almas, realizado em Vila de Barba no período que precede a Páscoa.

 

Ler mais
Apresentação dos trabalhos pedagógicos e de Investigação sobre a Casa Alves Mateus - Caracterização, estado de conservação e estratégia de intervenção
5 fev '24
Município
Apresentação dos trabalhos pedagógicos e de Investigação sobre a Casa Alves Mateus - Caracterização, estado de conservação e estratégia de intervenção

Foi apresentado, no dia 2 de fevereiro, na Casa Alves Mateus - antiga Casa Paroquial, um estudo preliminar, de cariz académico, que articula a reabilitação e recuperação da Casa Alves Mateus, com o desenho de um novo edifício para o Arquivo Municipal de Santa Comba Dão.

Centrados num edifício com fortes raízes comunitárias e uma longa história, estes trabalhos pedagógicos e de investigação aplicada foram apresentados pelo engenheiro Raimundo Mendes da Silva e pelo arquiteto António Bettencourt, que partilham a coordenação da unidade curricular de Projeto Aplicado, integrada no último semestre do mestrado em Reabilitação de Edifícios, da Universidade de Coimbra.

Coube ao representante da engenharia, Raimundo Mendes da Silva, dar a conhecer a  análise efetuada, composta por aspetos como a caracterização do edifício, estado de conservação e estratégia de intervenção.

O levantamento do edifício da Casa Alves Mateus começou em outubro de 2023,  tendo sido efetuado o estudo de vários domínios, expresso - de forma sintetizada -  em seis painéis temáticos apresentados durante a sessão: 'Contexto Histórico',  'Caracterização Arquitetónica e Construtiva', 'Escadas de Madeira', 'Tetos', 'Estado de Conservação e Levantamento' e 'Caracterização da Cobertura'.

Com base neste  levantamento, foi desenvolvido o ensaio de arquitetura, dado a conhecer, de forma detalhada pelo arquiteto António Bettencourt.  Na proposta arquitetónica é aliada, de forma harmoniosa e integrada,  a recuperação do edifício histórico existente - com manutenção da integridade construtiva - com um novo edifício destinado ao Arquivo. Num desenho que atende à memória do espaço e à emoção associada à vivência coletiva do edifício histórico, os dois equipamentos - apesar de distintos - comunicam entre si, numa proposta que viabiliza o acesso de pessoas com mobilidade condicionada.

Tal como referido pelos dois académicos, esta é uma  proposta / estudo preliminar que poderá  ser utilizada  pelo  Executivo municipal e constituir um  ponto de partida para a futura reabilitação do edifício.

Ainda num enquadramento prévio à apresentação,  o presidente da Câmara Municipal, Leonel Gouveia, havia agradecido a escolha da Casa Alves Mateus -  adquirida no ano passado pela autarquia -   para a realização destes estudos da Universidade de Coimbra. Adiantou, nesse sentido, ter sido objetivo do Município que o projeto articulasse a reabilitação da casa já existente, a dotar de áreas expositivas, com um novo  equipamento vocacionado para o Arquivo Municipal.

De referir também que, além de  membros do Executivo municipal, estiveram reunidos, nesta apresentação, o deputado José Rui Cruz, arquitetos e arquivista do Município, técnicos na área do turismo e do Gabinete de Apoio à Presidência, representantes da igreja, da Guarda Nacional Republicana e dos Bombeiros Voluntários, bem como o coordenador da ADICES, Miguel Torres.

Ler mais
Experiência dos incêndios inspira residência artística e estudo sobre a recuperação pós catástrofe
1 fev '24
Município
Experiência dos incêndios inspira residência artística e estudo sobre a recuperação pós catástrofe

Santa Comba Dão acolhe, desde terça-feira, um coletivo de artistas / investigadoras dos projetos FIRE-RES e Lament, que desenvolvem, no concelho, uma residência artística associada à experiência dos incêndios de 2017.

Neste projeto artístico e científico, que alia a arte à ecologia,  encontram-se mais diretamente envolvidas duas das 34 entidades que integram o projeto europeu FIRE-RES - o Instituto Superior de Agronomia (ISA) - Centro de Ecologia Aplicada Baeta Neves e o CoLAB ForestWISE®.

O  FIRE-RES tem  como  objetivo o desenvolvimento de  novos modelos e abordagens de prevenção e combate aos grandes incêndios, que face às alterações climáticas, têm grande probabilidade de se tornarem, cada vez mais frequentes. Neste contexto, e enquanto projeto artístico, o Lament visa  criar um espaço seguro para expressão da mágoa e tristeza reveladas após incêndios de grandes dimensões, conectando a arte com as dimensões social, científica e biológica. Associada ao FIRE-RES, esta residência artística do projeto Lament concorre para o estudo / investigação sobre a recuperação das comunidades após catástrofes de grandes dimensões.
                                                      
Juntamente com a investigadora do ISA Conceição Colaço, a artista e a investigadora Margherita Pevere e Celine Charveriat, de nacionalidades italiana e francesa, falaram ontem junto de cidadãos e representantes de diversas entidades, que foram envolvidos no processo de desenvolvimento do projeto artístico. Abordaram-se os objetivos e etapas desta ação com um forte cunho comunitário. 

Coube ao  presidente da Câmara, Leonel Gouveia, abrir a sessão, referindo o papel do Município enquanto parceiro e facilitador desta iniciativa, que aborda, de forma diferenciada, um tema impactante para a comunidade concelhia. Tal como o autarca destacou, esta ação próxima com a comunidade permite - além de uma reflexão sobre o tema - uma análise das consequências do impacto dos incêndios. A importância desta experiência para o estudo sobre as estratégias recuperação das comunidades atingidas por catástrofes naturais foi enfatizada por Conceição Colaço. 

Ponto estratégico de combate ao incêndio de 2017 e porto de abrigo simbólico desta residência artística, que se estende até no domingo, o Quartel dos Bombeiros Voluntários acolheu esta apresentação, na qual a  artista Margherita Pevere deu a conhecer algumas das  facetas da sua arte, fortemente inspiradana aliança entre a ecologia e a ciência. Celine Charveriat, ambientalista e investigadora na área da sustentabilidade revelou que a instalação artística que irá emergir em consequência desta iniciativa será exibida numa exposição em Bruxelas, onde estarão presentes  15 obras de  celebrados artistas europeus. Segunda a investigadora "é levada a voz de Santa Comba Dão", "uma voz do sul da Europa"  a um evento com visibilidade e expressão europeia.

O processo de criação artística associado ao projeto Lament desenvolve-se em várias etapas, envolvendo os participantes em passeios imersivos por locais afetados pelo fogo e  em partilhas informais, chamando também a comunidade escolar à participação, bem como todos aqueles que queiram expressar a experiência pessoal com os incêndios (contacto no quartel dos Bombeiros Voluntários).  A  instalação artística será inspirada nos momentos de partilha, traduzindo-se num mapa da resiliência, que, tal como o nome indica, pretende representar a recuperação pós incêndio. Uma instalação que vai também agregar material de cada um dos participantes – cidadãos e representantes das entidades envolvidas, trazendo ao centro da arte a comunidade e as suas vivências

Sob o ponto de vista europeu é, também, objetivo suscitar o debate sobre o impacto das mudanças ambientais no sul da Europa e as suas repercussões nas populações, “dando voz a quem não tem voz para chegar aos decisores políticos”, como referiu Celine Charveriat.

Ler mais
15 mil euros em prémios sorteados - Edição de Natal das Coisas de Cá
1 fev '24
Município
15 mil euros em prémios sorteados - Edição de Natal das Coisas de Cá

Aconteceu no início da tarde de 1 de fevereiro, o sorteio da iniciativa de promoção de comércio local - Coisas de Cá - Edição Natal, tendo a extração das senhas vencedoras ficado a cargo de José Luís de Lemos ('Bi'), representante dos comerciantes locais. O anúncio dos números vencedores foi efetuado pelo vereador Joaquim Agostinho Marques, num momento que contou com a presença do militar da Guarda Nacional Republicana, Bruno Carvalho.

No total foram atribuídos 15 mil euros, mais cinco mil do que na edição anterior, distribuídos por 87 prémios: dois (2) de 1000 Euros, cinco (5) de 500 Euros, 20 de 300 Euros, 30 prémios de 100 Euros e 30 de 50 Euros.

Nesta edição foram batidos  recordes de participação, tendo sido colocadas na tômbola cerca de 50 mil senhas (cada uma correspondente a 10 euros em compras), o que equivale a, aproximadamente, meio milhão de euros investidos nos estabelecimentos aderentes. 

Os prémios atribuídos (lista em baixo) correspondem ao valor em compras a efetuar - exclusivamente - em  estabelecimentos comerciais que aderiram à campanha Coisas de Cá (aqui), mediante apresentação de um documento emitido pelo Município - o “Passaporte de Cá".

Recorde-se que a promoção do comércio e dos produtos locais, com vista ao aumento do volume de negócio e à fidelização dos consumidores, é reafirmado, a cada nova edição, como o principal objetivo da campanha “Coisas de Cá".

Foi um dos premiados? Como fazer para receber o passaporte "Coisas de Cá"

Se foi um dos felizes contemplados com um  prémio das  "Coisas de Cá", tem de entregar presencialmente nos serviços municipais ou enviar por e-mail (para cultura@cm-santacombadao.pt, com identificação no assunto - PRÉMIOS DE CÁ),  os seguintes elementos, para emissão do PASSAPORTE DE CÁ:
- Talão comprovativo do prémio
- Nome completo
- Número de Identificação Fiscal (NIF)
- Foto

As condições do Passaporte de Cá estão presentes nas Normas da iniciativa.


PREMIADOS

1000 Euros

Senha n.º 46206

Senha n.º 1019

 

500 Euros

Senha n.º 54099

Senha n.º 23493

Senha n.º 17200

Senha n.º 22437

Senha n.º 41108

 

300 Euros

Senha n.º 25732

Senha n.º 29246

Senha n.º 23147

Senha n.º 22422

Senha n.º 35989

Senha n.º 45581

Senha n.º 37395

Senha n.º 46369

Senha n.º 34856

Senha n.º 46368

Senha n.º 23146

Senha n.º 47089

Senha n.º 15421

Senha n.º 1311

Senha n.º 46367

Senha n.º 15149

Senha n.º 37466

Senha n.º 10799

Senha n.º 10627

Senha n.º 41682

 

100 Euros

Senha n.º 10342

Senha n.º 10364

Senha n.º 29204

Senha n.º 10343

Senha n.º 5462

Senha n.º 10341

Senha n.º 17442

Senha n.º 11058

Senha n.º 21837

Senha n.º 39367

Senha n.º 648

Senha n.º 2374

Senha n.º 10290

Senha n.º 21841

Senha n.º 21839

Senha n.º 13349

Senha n.º 13351

Senha n.º 21838

Senha n.º 54203

Senha n.º 15102

Senha n.º 16899

Senha n.º 548

Senha n.º 28107

Senha n.º 28106

Senha n.º 28108

Senha n.º 6754

Senha n.º 14661

Senha n.º 28105

Senha n.º 23401

Senha n.º 25976

 

50 Euros

Senha n.º 49520

Senha n.º 30150

Senha n.º 40277

Senha n.º 21555

Senha n.º 37251

Senha n.º 49350

Senha n.º 5354

Senha n.º 32316

Senha n.º 38902

Senha n.º 49103

Senha n.º 12334

Senha n.º 77

Senha n.º 22309

Senha n.º 46140

Senha n.º 19500

Senha n.º 21669

Senha n.º 39429

Senha n.º 50122

Senha n.º 22639

Senha n.º 37597

Senha n.º 39970

Senha n.º 39581

Senha n.º 23516

Senha n.º 12523

Senha n.º 17158

Senha n.º 34003

Senha n.º 4928

Senha n.º 31804

Senha n.º 33318

Senha n.º 43036

 

Suplentes

Senha n.º 46829

Senha n.º 52188

Senha n.º 25825

Senha n.º 15044

Senha n.º 26230

Senha n.º 15045

Senha n.º 25878

Senha n.º 29886

Senha n.º 16975

Senha n.º 11252

Ler mais